Luz no fim do túnel, talvez a última

16:45 0 Comments A+ a-


Nestas últimas semanas tivemos uma grande mudança na Seleção Brasileira, a demissão de Dunga e o anúncio de Tite como seu substituto. Esta talvez seja a última chance de um treinador brasileiro comandar bem a seleção, afinal ele é o melhor manager que temos hoje. Vamos esperar para ver o seu trabalho, e tomara que ele seja similar ao mesmo realizado no Corinthians.

O técnico Dunga até demorou a cair. Não fui totalmente contra ao seu retorno em virtude do bom trabalho feito no ciclo da Copa da África. Falem o que quiser, mas o cara conseguiu conquistar quase tudo, menos a Copa do Mundo e as Olimpíadas (bronze), com retrospecto de 42 vitórias e apenas 6 derrotas em 60 jogos. Campanha semelhante parece estar longe de acontecer.


Dunga levou o Brasil a vencer a Copa América goleando na final a Argentina por 3x0, a conquistar a Copa das Confederações de 2009 e se classificar como líder e com três rodadas de antecedência nas Eliminatórias para a Copa, perdendo nas quartas-de-finais para a vice-campeã Holanda, num jogo que poderia ser ganho se não fosse um momento de instabilidade.

Apesar da boa campanha com o Brasil, Dunga não teve desempenho semelhante a clubes, o que levou à desconfiança por parte dos torcedores. Tal desconfiança justificada pela pífia campanha na Copa América do ano passado, onde foi eliminado da mesma forma que Mano Menezes há quatro anos. Creio que os resultados negativo de tal campanha fossem o suficiente para sua queda.


Porém, preferiram esperar e ocorreu outro vexame recente na eliminação da Copa América Centenário para o Peru. Então a queda de Dunga era inevitável, e 99% daqueles que ainda torcem pela Seleção pediram por Tite, e foram ouvidos. Além dos inúmeros títulos pelo Corinthians, Tite mostrou uma capacidade de reinvenção impressionante, e mesmo perdendo peças importantes montou outro Corinthians e este também competitivo.

Sabemos que dirigir clube é diferente de Seleção, porém de qualquer forma Tite é o melhor técnico brasileiro e talvez a última esperança brasileira de dar um jeito na Seleção. Não é do dia para a noite que revolucionaremos nosso estilo de jogo e colocaremos o Brasil entre as potências mundiais, mas talvez seja o início da reconstrução de nosso futebol, tão desejada desde o 7x1.

Obs: O post já havia sido preparado a um bom tempo, sendo postado somente agora.