Esportes da Olimpíada - Vôlei


A série que apresenta os esportes dos Jogos Olímpicos chega ao seu penúltimo capítulo e traz o vôlei.

O voleibol é esporte que está presente nas Olimpíadas desde os jogos de Tóquio 1964. Consiste em um jogo de duas equipes de seis jogadores e tem como objetivo passar a bola sobre a rede de modo com que a bola toque no chão dentro da quadra adversária evitando que o adversário faça o mesmo. Inventado pelo professor americano William Morgan no estado de Massasshucets em 1895 o objetivo inicial era evitar o contato físico entre adversários sem risco de lesões.

As partidas são disputadas em melhor de 5 sets, sendo que quatro deles são de 25 pontos e o set desempate se necessário tem pontuação de 15 pontos, caso haja empate é preciso que um time estabeleça uma vantagem de dois pontos para o encerramento de cada set. Até 1998 a pontuação terminava em 15 pontos, pois havia a vantagem. A partir de 1999 o esporte mudou sua regra e toda bola passou a valer ponto

O posicionamento dos jogadores na quadra é feito em sentido horário a cada vez que uma equipe marca ponto após receber o saque adversário. A linha de 3 metros separa a zona de defesa da zona de ataque e se um jogador pisar na linha é caracterizado como invasão e ponto para o adversário. O líbero é um jogador diferenciado e joga restrito na zona de defesa, portanto não pode atacar.

Fundamentos: Os fundamentos do esporte são seis:
  • Saque: Também chamado de serviço marca o início do jogo. O jogador efetua a jogada do fundo da quadra, estendendo o braço e acerta a bola fazendo atravessar o espaço aéreo acima da rede e das antenas para a quadra adversária. No voleibol vários tipos de saque foram desenvolvidos como o saque por baixo, o saque Viagem ao Fundo do Mar e o Jornada nas Estrelas feito por Bernard Razman na década de 80 emque ele exercia uma força descomunal fazendo com que a bola ganhasse efeito e altura impressionantes numa curva parabólica confundindo a recepção do adversário. O ace é o tipo de saque em que a bola toca direto no chão.
  • Recepção: é o contato do jogador com a bola no saque adversário. Sua variação é a manchete, que consiste em recepção com as mãos unidas e realizado de baixo para cima.
  • Levantamento: passe feito pelo levantador preparando o ataque;
  • Ataque: é o momento de definição. O objetivo é aterrisar a bola na quadra adversária. Possui várias formas como o ataque de fundo, na linha de 3 metros, paralela ou diagonal, largada, cortada, bola de xeque e explorando o bloqueio.
  • Bloqueio: O objetivo é impedir o ataque do adversário por isso três jogadores ficam de frente pra rede para interceptar a trajetória da bola.
  • Defesa: consiste em evitar que a bola chegue no chão. Dentre as ações praticadas estão o peixinho,o rolamento, o martelo e a posição de expectativa.


A quadra mede 18 m de comprimento por 9 de largura e é dividida por uma linha central que divide a quadra em dois lados de 9 metros. A rede é feita de material sintético com alturas variando de 2,24 à 2,43 m e a bola é feita de couro sintético com circunferência variando entre 65 e 67 cm e peso de 260 à 280 g.

O local de competições:


No Complexo do Maracanã está o Ginásio do Maracananzinho, a tradicional casa do vôlei brasileiro. O ginásio foi revitalizado no Pan de 2007 e ganhou uma quadra de aquecimento reformada além de outra temporária.

O Brasil nos jogos:



O esporte se tornou o segundo mais popular do país a partir da Geração de Prata no começo dos anos 80. A geração de Renan, Montanaro, William, Bernard e Amauri conquistou a medalha de prata nos jogos de Los Angeles e um dos remanescentes é o técnico da seleção masculina Bernardo Rezende, o Bernardinho. À frente do time masculino desde 2001 o técnico busca seu segundo ouro, pois foi campeão olímpico em Atenas e prata em Pequim e Londres. Agora em casa ele comanda mais uma vez a seleção que vem renovada e os destaques são Lucarelli, Eder e o líbero Serginho que resolveu voltar após sua aposentadoria. No time feminino o técnico José Roberto Guimarães que foi campeão olímpico com os homens em Barcelona e bicampeão olímpico com as mulheres em Pequim e Londres pode se tornar tricampeão com o time feminino e igualar o feito conquistado por Cuba que foi tricampeã olímpica entre os jogos de 1992 à 2000. Os destaques do time são as atacantes Sheila Castro e Jaqueline além de Thaísa, Fernanda Garay e Dani Lins.

A potência:


Os Estados Unidos até os anos 80 eram uma equipe que figurava no nível secundário e assim como o Brasil subiram de nível e sempre estão entre os favoritos em qualquer competição, tanto no masculino e principalmente no feminino. Outra potência é a Rússia, principalmente na época da extinta União Soviética, mas as equipes estão em processo de transição, especialmente no feminino em que nomes como Sokolova e Gamova, o pesadelo brasileiro e no masculino com Muserskiy, que foi o carrasco em Londres devem deixar a equipe.

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário