Esportes da Olimpíada - Tiro com arco


A série sobre os esportes olímpicos entra em sua reta final e chega hoje ao tiro com arco.

O tiro com arco é um dos esportes mais antigos da história da humanidade. Surgiu nos primórdios da civilização como atividade de caça e guerra. Nos séculos XVI e XVII na Inglaterra virou esporte com a realização de torneios. O esporte foi introduzido nos jogos de Paris em 1900 e foi disputado até 1920 voltando em 1972.

O objetivo dos atletas é simples, mas nada fácil: acertar com a flecha o alvo que está à 70 metros de distância. Nos Jogos Olímpicos o arqueiro usa o arco recurvo que é composto por lâmina, punho e corda. Ainda é adicionado ao equipamento componentes como mira e estabilizadores. O esporte exige força, flexibilidade e nervos no lugar além de muita mira.

Cada arqueiro carrega seis flechas e nas fases iniciais tem 40 segundos para atirar suas flechas. Nas fases finais o tempo cai pela metade assim como as flechas: 20 segundos para atirar 3 flechas. A pontuação vai de 1 até 10 sendo o 10 o alvo principal localizado no círculo central. Os atletas que tiverem melhor pontuação depois de 72 flechadas avançam de fase.

Equipamentos:


O arco recurvo é composto por lâminas, punho, corda e acessórios auxiliares como miras e estabilizadores. As flechas tem diâmetro máximo de 9,3 mm, só que a maioria tem diâmetro menor, de 5,5 mm e possibilitam voos mais velozes na direção do alvo. Uma vez disparadas as flechas podem atingir velocidades de 240 km/h. O alvo tem 1,22 m de diâmetro e é posicionado à 1,22 m do chão e possui dez círculos concêntricos.

O local de competições:


Palco do desfile das escolas de samba o Sambódromo do Rio será palco das disputas.

O Brasil nos jogos:


O Brasil nunca chegou tão esperançoso no esporte como agora. Marcus Vinícus D'Almeida é um dos 20 melhores arqueiros do mundo e principal nome do país na modalidade. Medalha de prata na Copa do Mundo e na Olimpíada da Juventude o jovem arqueiro de 18 anos fará sua estreia em olimpíadas. O país ainda terá Bernardo Oliveira, Daniel Xavier, Marcelo da Silva Costa Filho (masculino), Sarah Nikitin, Ane Marcelle dos Santos, Marina Gobbi e Michelle Terada (feminino).

A potência:


A Coreia do Sul é atualmente a grande potência do esporte, pois nas últimas oito edições olímpicas o país asiático subiu no pódio em todos os eventos individuais e por equipes.

Share this:

ABOUT THE AUTHOR

Ceyron Louis

Hello We are OddThemes, Our name came from the fact that we are UNIQUE. We specialize in designing premium looking fully customizable highly responsive blogger templates. We at OddThemes do carry a philosophy that: Nothing Is Impossible

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário