Ataque x defesa fica empatado e loteria favorece a Nationalelf


Alemanha x Itália fizeram a grande partida destas quartas da Euro. Os germânicos vinham de uma goleada contra a Eslováquia por 3x0 enquanto os italianos venceram a atual campeã Espanha por 2x0 na última fase. A expectativa para o jogo era uma Alemanha com maior posse de bola e presença no ataque contra uma Itália usando o que tem de melhor, a forte defesa, e buscando um contra-ataque para marcar.

O primeiro tempo foi morno, com muito respeito de ambas equipes, afinal eram oito título mundiais em campo. A Itália até chegou mais vezes no ataque do que o esperado. Contudo, as grandes emoções ficaram para a etapa final. No segundo tempo, os alemães forçaram no ataque o que gerou uma maior criação de jogadas, entretanto elas não foram nocivas devido a forte marcação por zona, o que dificultava um bom lance mesmo derivado de um drible devido a boa cobertura. Teve lances onde os dez jogadores italianos estavam atrás da linha da bola. A Alemanha em virtude de tal dificuldade trocava de lado tentando encontrar um buraco.


E mesmo com a presença ofensiva, o gol da Nationalelf saiu dos pés do goleiro Neuer. O tiro de meta longo encontrou uma defesa italiana desarrumada, e Mario Gomes, que saiu da área buscando participar mais das jogadas visto que o sistema defensivo da Azurra não permitia troca de passe em frente a área, numa jogada pela ponta deu belo passe para Hector que cruzou quase imprensado. A defesa italiana parou e Ozil, marcou o primeiro gol do confronto. Muitos pensaram que o jogo estava decidido, uma vez que a Itália não teria a mesma força defensiva no ataque e por isso não conseguiria empatar o marcador, pelo contrário, poderia levar mais gols caso jogasse de maneira ofensiva.

A Itália tentava chegar, mas não conseguia; se o ataque da Itália e bem inferior à sua defesa, a zaga alemã assim como a parte ofensiva, também é excelente. Contudo, apesar desta enorme desvantagem um lance bobo contribui para os italianos. Na bola área, principal arma italiana até então, Boateng num sinal de não manter contato levantou os braços e a bola foi na sua mão. Bonucci cobrou com uma enorme categoria empatado o confronto. Na Prorrogação nenhuma das equipes quiseram se arriscar e o jogo foi para as penalidades.


Sabemos que a disputa de pênaltis não é somente sorte, mas técnica, psicológico e também o físico, que contam muito nesta hora. Apesar de tais fatores, classificaria a sorte como o ponto decisivo no confronto deste sábado. Ao todo foram dezoito pênaltis, sendo que apenas onze balançaram as redes. Os goleiros até participaram, mas a maioria das bolas não tinham direção ao gol, até Ozil e Bonucci, autores dos gols do duelo, erraram suas respectivas cobranças. Tal ciclo chegou ao fim na nona cobrança, quando Neuer pegou a cobrança de Darmian, e Hector cobrou forte e Buffon não conseguiu agarrar.


Esta classificação alemã premia o futebol bonito, se bem que pelas propostas das duas equipes o empate foi o resultado mais justo. Hoje, nenhum time consegue jogar de igual para igual contra a Alemanha, e Itália mesmo com sua forte defesa não conseguiu segurar 100% os alemães. Talvez, se a Azurra tivesse lá na frente um cara decisivo, como Balotelli foi em 2012, o resultado poderia ser o outro. Agora, a Alemanha espera o adversário entre França x Islândia, e arrisco a dizer que as duas equipes, até mesmo os franceses jogando em casa, não terão a ousadia de partir para o ataque contra a Nationalelf.

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário