Brasil atinge melhor campanha paralímpica e Zanardi faz história no paraciclismo


O Brasil já faz no Rio de Janeiro sua melhor campanha paralímpica superando Pequim e faltando quatro dias pro fim das competições pode mais. E o dia ainda teve mais um ouro na conta do italiano Alex Zanardi.

Hoje não tivemos ouro, mas somamos mais cinco medalhas. A medalha de número 44 foi conquistada por Verônica Hipólito, bronze nos 400 m T38. O atletismo ainda conquistou prata no 4 x 100 classes T11-T13 com Terezinha Guilhermina conquistando sua primeira medalha depois da decepção em ter queimado a largada.


A natação conquistou duas pratas com Carlos Farrenberg nos 50 m livre classe S13 para atletas com baixa visão e no 4 x 100 livre até 34 pontos com Daniel Dias somando sua 21ª medalha paralímpica. O Brasil ainda ganhou uma medalha inédita no paraciclismo de estrada com o bronze de lauro Chaman no contrarrelógio categoria C5.


E o italiano Alex Zanardi voltou a fazer história. Amanhã o acidente que ele sofreu quando corria na Fórmula Indy completa 15 anos e foi naquele acidente que Zanardi teve de amputar as duas pernas. Demonstrando superação ele conquistou seu primeiro ouro na prova contrarrelógio categoria H5.


Nos esportes coletivos o goalball segue sendo a sensação e hoje as duas seleções chegaram à semifinal. A masculina bateu a China por 10 x 3 e no feminino goleada de 10 x 0 na Ucrânia. Já o futebol de sete foi goleado pelo Irã por 5 x 0 e vai disputar o bronze contra a Holanda e no rugby em cadeira de rodas masculino perdemos para o Canadá por 62 x 48.

A China segue liderando a Paralimpíada com 75 de ouro e 170 no total. O Brasil segue na quinta colocação com 48 medalhas, sendo dez de ouro, 24 de prata e 14 de bronze.

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário