Números do Brasileirão 2016


O primeiro post nessa volta do blog falará um pouco sobre o Brasileirão deste ano. Traremos aqui alguns números que mostram como foi tal competição, com destaque para o título do Palmeiras, algo que não acontecia desde 1994 e o primeiro rebaixamento de um dos "incaíveis", o Internacional.

O melhor ataque é a defesa, e a melhor defesa é o ataque!
O Palmeiras terminou a competição com o melhor ataque (62 gols) e a melhor defesa, junto com o Atlético-PR (32 gols sofridos) e consequentemente o melhor saldo da competição, realmente um desempenho incrível. O Atlético-MG tem o segundo melhor ataque, com apenas um gols a menos, mas possui também uma das piores defesas. Nesse quesito, além do Verdão, destacam-se também o Flamengo e Santos (35 gols contras cada). Já o Furacão, com um dos melhores setores defensivos, marcou pouquíssimos gols, apenas 38.


Aproveitamento excelente
Além do melhor ataque e melhor defesa, o Palmeiras foi a equipe com o maior número de vitórias e menor casos de derrotas. Já na via oposta, o lanterna América-MG foi o time com menos triunfos (sete) e mais derrotas (24).

Causas do rebaixamento?
Após chegar a liderar o campeonato, o Internacional ficou 14 partidas sem vencer (ficando a uma partida de igualar o recorde de São Caetano em 2006 e América-RN em 2007). Detalhe: Nenhuma equipe que ficou 13 partidas ou mais sem vencer conseguiu escapar da zona da degola e o Colorado não foi exceção. Além desta marca, o Colorado teve 17 derrotas e apenas 11 vitórias, além do saldo de gols ser -6, tendo a terceira pior marca de gols assinalados, apenas 35.



Cariocas melhoram
O futebol carioca teve uma queda após os títulos de Fluminense em 2012 e Flamengo em 2013. Sucessivos rebaixamentos e ausência de candidatos ao título marcaram o futebol do Rio nas últimas competições. Contudo, nesta temporada, mesmo com apenas 3 representantes, o futebol Carioca voltou a brilhar em comparação a antes. O Flamengo chegou a brigar pelo título, enquanto o Botafogo classificou-se para a Liberta e o Flu, que também brigou pelo G6, apesar de não ter conseguido a vaga, ficou distante do Z4.

Força de Minas diminui
Depois de várias temporadas brigando por títulos nacionais e internacionais, os clubes de Minas não fizeram um grande campeonato. Mesmo com o Atlético-MG conseguindo a vaga para a Libertadores, o Cruzeiro chegou a namorar o Z4 algumas rodadas enquanto América-MG, campeão mineiro, terminou o campeonato na lanterna.



Paulistas mantém a soberania
Enquanto os outros estados vivem altos e baixos, os paulistas mantém uma certa regularidade boa. Mesmo com o São Paulo ter tido alguns casos com a Zona de Rebaixamento, os demais integrantes fizeram bela competição. O Palmeiras levou o título com uma campanha memorável, enquanto Santos garantiu a vaga para a Liberta e o Corinthians brigou para conquistar, mas não conseguiu. Ainda temos a Ponte Preta, que apesar de não brigar no alto escalão, vem fazendo boas temporadas com poucos riscos de cair, situação similar à da Chapecoense.

O maior momento do Futebol!
Agora é a vez dos gols. Ao todo foram 304 gols marcados, 200 dos mandantes e 104 dos visitantes, uma média de 2,4 gols por partida. De falta foram poucos, apenas 17, a menor marca desde 2010. Já nas penalidades máximas, nesta temporada tivemos o maior número desde 2012, com 79 tentos convertidos em 103 cobranças. A equipe que menos contribui para estas estatísticas foi o Figueirense, que acumulou 222 defesas/bloqueios.

A artilharia ficou divida entre Diego Souza (Vitória), William Pottker (Ponte Preta) e Fred (Atlético-MG) com 14 gols cada.


Direto das arquibancadas:
Voltando para os números, estes aqui são muito importante, pois não só afetam o rendimento em campo como também a questão financeira dos clubes. Prova disso é o Palmeiras, que além de ter a melhor média de público (32 470), apresentou também a maior renda bruta arrecadada (R$ 42 311 615). Podemos destacar também Corinthians, Flamengo e até mesmo o Internacional. Já na lanterna novamente, o América -MG foi o clube com a menor média de torcedores apenas 3494, enquanto a pior renda foi para a Ponte Preta, que faturou apenas R$ 1 729 690.

Abuso da força: O jogador que mais levou cartões foi Bruno Silva (com 13 amarelos). Já nos cartões vermelho, o atleta mais "presenteado" foi Lucas Romero, do Cruzeiro. Já em conjuntos, as equipes com maiores números de cartões foram Vitória (113), Internacional e Cruzeiro (101 cada).

Sacos de pancadas: Um dos grandes nomes deste Campeonato, Marinho foi o jogador que mais "provocou" cartões amarelos para os adversários, sendo 32 amarelos ao todo. Logo após temos outro grande nome da competição, Gabriel Jesus sendo 19 amarelos e 1 vermelho.


Santa Cruz e erros bobos: Como senão bastasse a pior defesa com 69 gols tomados, o Santinha ainda foi o pior clube no quesito cartões bobos (mãos, reclamações, simulações entre outros).

Fator mandante importante: Mais da metade (53%) dos resultados foram vitórias dos mandantes, seguido pelos empates (25%) e na menor das vezes, triunfos dos visitantes (22%).

Estes são alguns dos números que retratam como foi o Campeonato Brasileirão deste ano. Tais rendimentos influenciaram no resultado final da competição, desde a ponta até aos rebaixados. Agora vamos aguardar as contratações neste período de férias e também a pré-temporada ano que vem, antes da bola rolar para valer!

Share this:

ABOUT THE AUTHOR

Ceyron Louis

Hello We are OddThemes, Our name came from the fact that we are UNIQUE. We specialize in designing premium looking fully customizable highly responsive blogger templates. We at OddThemes do carry a philosophy that: Nothing Is Impossible

    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Esqueceu de citar o Fred do Atlético Mineiro que também foi artilheiro, então tivemos um tríplice empate na artilharia do campeonato.

    ResponderExcluir